Arquivos de sites

Insatisfação com o resultado das urnas

O Senador Cristóvão Buarque postou em seu Tweeter sobre as manifestações, ele mesmo, favorável:

cbuarquePara saber mais, entre em sua linha do tempo. Não deixa de ter razão.

A insatisfação com o atual governo é notória. Quando José Serra disputou com ela, mostrou como era uma péssima gerente e o que ela havia de fato realizado quando exercendo funções junto ao governo do RS. Portanto, esta péssima gestão da Sra. Dona Presidenta já era de se esperar.

O ano de 2014 e, em particular próximo às eleições, novos graves escândalos de corrupção surgiram e os seus desdobramentos, ao contrário do que se poderia esperar, não diminuíram após as eleições. Ocorre o inverso, o poço de lama parece ser ainda mais profundo.

Os desmandos são claros: logo após a confirmação de sua reeleição, a Sra. Dona Presidenta aumentou os juros para tentar conter a alta do dólar, o que não conseguiu; aumentou o preço dos combustíveis e anunciou que pretende mexer ainda na Lei de Responsabilidade Fiscal e nas idades para a aposentadoria… E ainda, colocou os últimos mensaleiros fora da cadeia.

Partindo do princípio que o meu, o seu, o nosso voto servem para dizer “eu o estou contratando para tal função”, a dita cuja funcionária não está realizando o que prometera se fosse “contratada”. Com isso, fica fácil entender as razões do descontentamento e insatisfação de uma parcela significativa da população que não votou nela, seja votando noutro candidato, em branco ou nulo.

O que o Senador Cristóvão Buarque nos lembra, entretanto, é que numa democracia existem meios legais para manter ou não um Chefe de Estado em suas funções.

As delações premiadas já tiveram dois méritos: conhecer razoavelmente bem os procedimentos empregados e as pessoas envolvidas, mas também, repatriar uma boa quantia do que foi obtido a título de 3% de bonificação. São muitos milhões de reais. Pelo que se acompanha na imprensa, as investigações estão indo bem. Mas serão punidos? Os mensaleiros estão todos soltos…

Portanto, é bom acompanhar os próximos acontecimentos. As manifestações, por si só, não tem o poder de derrubar ninguém, principalmente por que isso seria golpe. Os militares com os quais travo contato, estão indignados: são cidadãos como você e eu; mas não há pretensões de assumir o governo. Ao contrário: fazem questão de que a Constituição seja cumprida.

Qualquer que fosse o candidato vencedor, como presidente, terá de assumir uma dura tarefa de recolocar a economia nos trilhos outra vez. Há descontentes e insatisfeitos; embora o maior problema seja a falta de credibilidade do atual governo. Os primeiros três meses de 2015 serão muito difíceis…

Que Deus nos ajude.

Anúncios

Por onde vai a cidadania?

Hoje pela tarde eu me deparei com uma declaração inusitada, ao menos para este início de século XXI, no Brasil, onde a espiritualidade do cidadão é muitas vezes ambígua. Um dos candidatos à prefeitura de São Paulo declarou que seria bom ter uma Igreja em cada quarteirão da cidade (http://tinyurl.com/brv7erk). Sabe-se que ele é evangélico e membro da IURD. A campanha de Russomano está baseada na recuperação da cidadania. Conseguiria atingir seu objetivo através desta ação?

Duas outras notícias me chamaram a atenção ao longo dia. A FGV divulgou que a elevação da escolaridade reduz o trabalho informal (http://tinyurl.com/8omdxbr). A meu ver, escolaridade e trabalho são as melhores maneiras de recuperar a cidadania e a dignidade de seja lá quem for, uma vez que torna o indivíduo e sua família participantes e integrantes da sociedade na qual vivem.

Não se trata de criticar o papel das Igrejas, uma vez que muitas delas investem forte na educação, desde a pré-escola até a universidade. Entretanto, como o candidato colocou, parece que ficar orando é o suficiente para tirar as pessoas da marginalidade social e integrá-la no mercado de trabalho.

Na Alemanha, seu ministro da economia defendeu hoje de que os alemães deveriam se aposentar aos 80 anos (http://tinyurl.com/987and3). Não dá para comparar a qualidade de vida que a maior parte dos idosos tem por lá com aquela que é permitida aos idosos brasileiros.

Acredito que uma pessoa que se escolarizou terá melhores condições de vida à medida que sua idade avançar do que uma que deixou a sua vida nas mãos de uma Igreja.

%d bloggers like this: